Biblioteca
Português

Render-se ao abraço do Don

253.0K · Finalizado
HanniJang
171
Capítulos
99.0K
Visualizações
9.0
Notas

Resumo

Amelie Pearce, nascida no seio de uma das mais proeminentes famílias do crime de Chicago, é uma princesa da máfia conhecida pela sua atração física. No entanto, o que muitos consideram uma bênção torna-se a sua ruína quando é obrigada a casar com Gio Locatelli, a fim de estabelecer a paz entre duas dinastias mafiosas. Gio é o futuro chefe do Cartel Locatelli da Famiglia de Nova Iorque, um homem famoso pela sua natureza brutal e por ter estrangulado o primo com as próprias mãos. Millie sente-se aterrorizada com a perspetiva de casar com um monstro destes. Apesar de ser um dos solteiros mais desejados de Nova Iorque, devido à sua boa aparência, riqueza e comportamento carismático mas predador, Millie compreende que a personalidade de bad boy de Gio é mais do que um simples ato. Por detrás dos cativantes olhos cinzentos e do sorriso arrogante de Gio, esconde-se sangue e morte. No seu mundo, um exterior atraente esconde muitas vezes um monstro oculto - capaz de matar e beijar com igual facilidade. No entanto, escapar de uma união arranjada, ainda mais com um homem como Gio, é impossível. Ele persegui-la-ia até aos confins do mundo. A única esperança de sobrevivência de Millie num casamento com Gio é conquistar o seu afeto e, gradualmente, encontrar o caminho para o seu coração - apesar dos rumores que sugerem que Gio não possui qualquer coração. Uma bela princesa da máfia entregue a um homem monstruoso.

romanceamor verdadeiroamorCasamento arranjadourbemafiabilionáriomenina boadominantebxg

1

MILLIE

Eu estava deitado confortavelmente no sofá comprido da nossa biblioteca, lendo, quando ouvi uma batida na porta. A cabeça da minha irmã Sienna estava apoiada no meu colo e ela não acordou quando nossa mãe entrou. Minha mãe parecia preocupada, com o cabelo loiro preso em um coque na nuca.

"Há algo de errado?" Perguntei.

Ela forçou um sorriso e disse: “Seu pai quer falar com você no escritório dele”.

Com cuidado, movi a cabeça de Sienna e a coloquei no sofá. Ela se encolheu, sendo uma garotinha de onze anos, enquanto eu, com um metro e setenta e cinco de altura, também não era muito alto. Ninguém em nossa família era particularmente alto. Enquanto eu caminhava em direção à mamãe, ela evitava contato visual.

"Estou em sarilhos?" Eu não tinha certeza do que poderia ter feito de errado. Normalmente, Sienna e eu éramos as bem comportadas, e nossa irmã Harper era a infratora que se metia em encrencas.

“Depressa, não deixe seu pai esperando”, disse mamãe simplesmente.

Meu estômago revirou nervosamente enquanto eu estava na frente do escritório do meu pai. Depois de um momento para acalmar meus nervos, bati na porta.

"Entre."

Entrei, tentando manter uma expressão impassível. Papai estava sentado atrás de sua mesa de mogno, em uma grande poltrona de couro preto. As prateleiras de mogno atrás dele estavam cheias de livros que ele nunca tinha lido, mas escondiam uma entrada secreta para o porão e um corredor que saía do local.

Ele ergueu os olhos de uma pilha de papéis, o cabelo grisalho penteado para trás. "Sente-se."

Sentei-me em uma das cadeiras em frente à mesa dele e cruzei as mãos no colo, tentando não morder o lábio inferior, pois papai não gostava disso. Esperei que ele falasse. Ele tinha uma expressão estranha no rosto enquanto olhava para mim. "A Bratva e a Tríade estão tentando dominar nossos territórios. Sua ousadia aumenta a cada dia. Temos mais sorte do que a família de Las Vegas, que também tem que lidar com os mexicanos, mas não podemos ignorar a ameaça do Os russos e os taiwaneses por mais tempo."

Eu estava confuso. Papai nunca falou conosco sobre seus negócios. As meninas não deveriam saber os detalhes do negócio da máfia. Eu sabia que não deveria interrompê-lo.

“Precisamos resolver nossa rivalidade com a Família de Nova York e unir forças se quisermos nos levantar contra a Bratva e a Tríade.” Paz com a Família? Papai e todos os outros integrantes do Chicago Outfit odiavam a Família. Eles lutavam entre si há décadas e só recentemente decidiram ignorar um ao outro para atacar membros de outras organizações criminosas, como a Bratva e a Tríade. “Não existe vínculo mais forte do que o sangue. Pelo menos a Família acertou.”

Franzi a testa.

"Nascido com sangue. Jurado com sangue. Esse é o lema deles."

Balancei a cabeça, mas minha confusão só aumentou.

“Encontrei-me ontem com Agatone Merante”, disse meu pai. Agatone Merante era o chefe da máfia de Nova Iorque. Um encontro entre Nova York e Chicago não acontecia há dez anos e da última vez não terminou bem. Chamaram-lhe Quinta-feira Sangrenta. Meu pai nem era o chefe; ele era apenas um conselheiro de Vernon Ruberti, que governava o crime no Centro-Oeste.

“Concordamos que, para que a paz fosse possível, teríamos que nos tornar uma família”, continuou meu pai, olhando-me intensamente. Eu não queria ouvir o resto. “Ruberti e eu concordamos que você se casaria com o filho mais velho do Merante, Gio, que será o futuro chefe da Família.”

Eu senti como se estivesse caindo. "Por que eu?"

“Merante e Ruberti estão conversando ao telefone, e Merante queria a garota mais linda para seu filho. Eles não podiam dar a ele a filha de um de seus soldados, e como Vernon não tem filhas, eles escolheram você como o mais bonito disponível", explicou meu pai.

"Mas há tantas garotas lindas", engasguei. Eu não conseguia acreditar que isso estava acontecendo.

“Não há muitas garotas italianas com cabelos como os seus. Vernon o descreveu como dourado”, meu pai riu. "Você será o nosso caminho para a Família de Nova York."

"Mas, padre, só tenho quinze anos. Não posso me casar", implorei.

Meu pai acenou. "Se eu concordar, você pode. Não nos importamos com leis."

Agarrei os braços com força, sentindo-me entorpecido.

"Mas eu disse a Agatone que esperaríamos até você completar dezoito anos e terminar a escola. Sua mãe insistiu e Vernon cedeu a ela implorar."

Então o Chefe decidiu esperar, mas meu pai teria forçado o casamento se pudesse. Gio Merante, meu futuro marido, era conhecido por esmagar a garganta de um homem com as próprias mãos. Eu nem sabia quantos anos ele tinha. Meu primo teve que se casar com alguém muito mais velho. Eu esperava que Gio não fosse tão velho. Ele foi cruel?

"Ele será o chefe da máfia de Nova York", sussurrei. "Por favor, pai, não me faça casar com ele."

O rosto do meu pai se contraiu. "Você vai se casar com Gio Merante. Apertei a mão do pai dele. Você será uma boa esposa e se comportará obedientemente nas celebrações do noivado."

"Festa de noivado?" Eu perguntei, minha voz soando distante.

“Sim, é uma forma de conectar nossas famílias e deixar Gio ver o que ele está ganhando”, respondeu meu pai.

"Quando é?"

"Setembro. Ainda não definimos uma data."

Balancei a cabeça entorpecidamente. Meus sonhos de um casamento amoroso foram destruídos. Perguntei se poderia continuar a frequentar a escola, mas no fundo sabia que isso não faria diferença. Meu futuro foi decidido por mim. Tudo já havia acabado antes mesmo de começar.

~*~

Eu não conseguia parar de chorar. Harper estava me confortando acariciando meu cabelo enquanto minha cabeça descansava em seu colo. Ela tinha apenas treze anos, apenas dezoito meses mais nova que eu. Contudo, esses dezoito meses fizeram toda a diferença entre ser livre e ficar preso numa situação de falta de amor. Eu tentei muito não culpá-la por isso, porque não foi culpa dela.

"Você deveria falar com o pai novamente." Harper sugeriu quando cheguei ao quarto dela.

Eu apenas dei de ombros e abaixei a cabeça. Conhecendo o nosso pai, não há nada que possa mudar a sua decisão uma vez tomada.

Ela correu ao meu lado, me agarrando pelo braço. “Talvez a mãe possa ajudar.” Ela sussurrou.

"Vamos. Meu pai nunca deixou uma mulher influenciar sua decisão.” Eu respondi. Fechando suas ideias. Ao mesmo tempo tirando toda a esperança que meu coração pudesse ter.

Enxuguei as lágrimas e olhei para Harper, sentindo-me infeliz. Ela tinha os mesmos olhos azuis que os meus, mas o cabelo dela era ruivo, diferente do meu, que era loiro claro. O pai às vezes a chamava de bruxa, mas não era um termo carinhoso.

“Ele fez um acordo com o pai de Gio”, eu disse a ela.

Harper ficou surpreso e perguntou se eles haviam se conhecido. Eu me perguntei a mesma coisa. Por que meu pai encontrou tempo para se encontrar com o chefe da Família de Nova York, mas não para discutir seus planos de me vender como uma mercadoria?

Ignorei a frustração e o desespero que cresciam dentro de mim, dizendo a Harper que não havia nada que pudéssemos fazer.

Harper tentou me animar, dizendo que Gio podia ser feio, gordo e velho. Mas eu sabia que minhas preocupações iam muito além da aparência dele.

Decidimos pesquisar informações sobre Gio online. Ele parecia ser um solteirão procurado, com olhos cinzentos e frios e uma constituição musculosa. As matérias o chamavam de herdeiro do empresário Agatone Merante, mas sabíamos o que ele realmente representava: morte e violência.

Ver as fotos dele com garotas diferentes em cada foto me deixou amargo. As garotas da sociedade eram atraídas por seu charme e riqueza, sem conhecer a escuridão que estava por trás de sua fachada.

Senti necessidade de conversar com Enrique, nosso leal guarda-costas, que sabia tudo sobre todos, inclusive Gio.