Biblioteca
Português

Reivindicando seu companheiro tentador

181.0K · Finalizado
Raina Lori
72
Capítulos
643.0K
Visualizações
9.0
Notas

Resumo

Traição dói.... mas e se o traidor for seu companheiro? Shyla nunca pensou que seu companheiro e sua família pudessem traí-la dessa maneira. Ela achava que tinha tudo e que não poderia pedir mais, mas estava enganada, muito enganada ao pensar que aqueles sorrisos encantadores e aquelas palavras encantadoras eram verdadeiras. No dia da Cerimônia do Trono, Shyla viu seu coração se despedaçar. Ela encontrou seu companheiro desfrutando de prazeres com sua irmã. Ela pensou que ainda havia uma pequena chance e que poderia confrontá-los, mas novamente estava errada. Acusando-a de ser tão fraca e até mesmo dando a ela a pior opção de aceitar seu destino e se tornar a substituta, naquele momento ela soube que havia perdido tudo. Com o coração dolorido que lhe restava, ela correu o mais longe que suas pernas puderam levá-la. Tão longe da sombra de sua vida. Mas a vida nunca sai de acordo com os planos das pessoas. No meio da floresta, algo aconteceu, parecia um milagre que certamente mudou a perspectiva de sua vida. Ela encontrou a maior verdade escondida na floresta, longe dela por tantos anos... foi como uma segunda chance concedida a ela para sobreviver à dor e à traição. E ..... novamente lá está ele... de pé como um rei com aqueles olhos ardentes... olhando para ela e reivindicando-a como sua? -------- "Deixe-me ir...." Minha voz saiu quase como um sussurro. Seus olhos percorreram todo o meu corpo, fazendo com que eu me sentisse nua, apesar de estar coberta de roupas. Sua respiração rouca caiu sobre meu rosto quando ele inclinou a cabeça. "Não, nem agora, nem nunca" E, naquele momento, percebi que meu destino estava selado com ele para sempre.

lobisomemamor verdadeirosobrenaturalsenhora protagonistamenina boa

Capítulo 1

Ponto de vista de Shyla.

Reuni as flores em meu braço e caminhei em direção à alcateia. Hoje é um dia especial, para meu companheiro e também para mim. O Alfa queria organizar a cerimônia do Trono há um mês, mas o mestre sacerdote não encontrou um bom dia para completar, então foi adiada por tantos dias. Mas uma semana atrás o mestre sacerdote disse que hoje é o melhor dia, hoje haverá uma lua cor de rosa à noite, o que é um sinal de sorte.

Sorrindo radiante, caminhei em direção à porta. Todos no grupo estavam ocupados decorando para celebrar a cerimônia. Começando pelo homem, a mulher e até mesmo incluindo as crianças. Eu não conseguiria expressar o quão feliz estou naquele dia. Depois que meu companheiro receber o título de Alfa oficialmente, ele escolherá sua Luna para governar a alcateia ao seu lado e, como sua companheira, tenho que me preparar para isso. Já se passaram dois anos desde que encontrei meu companheiro, mas ainda não todos na alcateia sabem disso. Por quê? Porque meu companheiro queria que fosse mantido em segredo para poder surpreender a todos no dia da cerimônia do Trono. É triste que eu não possa contar a ninguém sobre isso. Tenho que observá-lo em silêncio à distância diante de todos, mas toda a minha espera terá um fim hoje. Porque hoje ele dirá a todo o mundo que somos companheiros.

Um rugido de risadas chegou aos meus ouvidos e olhei para o grupo de garotas parado perto das escadas. Uma delas era a mulher mais habilidosa da alcateia que adora me provocar de todas as maneiras possíveis.

- Shyla? De onde você está vindo? Oh... Então você foi buscar aqueles sinos novamente? - Ela riu. Havia uma zombaria em seus olhos ao sorrir radiante.

- Vamos, Tina, você não sabia que ela queria impressionar o jovem Alfa com isso? - Disse outra garota que estava ao lado.

- Sim, sim - Tina sorriu - Mas você deve saber que o jovem Alfa não é alguém que será impressionado por esses pequenos sinos. Você deveria pensar em um plano maior se está planejando pular em sua cama.

Houve outra série de risadas. Não era incomum para mim, pois elas eram sempre assim. Zombando de mim até a morte, sem deixar nenhuma chance escapar.

- Vamos, Tina, não incomode a pobre garota. Você sabe que mesmo que ela planeje seduzir o jovem Alfa, ela não conseguirá. Ela já passou da idade da mudança e nem conseguiu despertar seu lobo, uma garotinha tão pobre, como nosso Alfa pode deseja-la?

Meus dedos em torno das flores se fecharam com força. E daí se eu não podia mudar? Eu não tenho coração? Eu não tenho beleza? Só porque não pude despertar meu lobo dentro de mim não significa que sou pior. Ainda pertenço à família dos lobos. Mas nunca tive coragem de retrucar. O que eu podia fazer era amaldiçoar por dentro, mas minha voz nunca saiu para impedi-los de se defender.

Elas riram como se tivessem alguma piada que estivessem contando. Eles estavam prestes a dizer de novo quando outra voz as parou.

- O que vocês estão fazendo aí?

Olhei para cima para ver Ben, o jovem beta da alcateia, entrar em cena.

- Vão e façam seu trabalho em vez de ficar brincando por aí. - Sua voz fria parou todas aquelas bocas antes que se retirassem. - Você está bem? - Ele perguntou ao se aproximar de mim.

- Estou bem, não se preocupe. Não é nada incomum de qualquer maneira. - Eu sorri.

Ele franziu a testa.

- Você deveria ter reclamado disso para o Alfa ou o jovem Alfa para que eles possam parar de abusar de você desse jeito. Isso está indo longe demais. - Ele balançou a cabeça.

Ben conhecia a verdade, então ele sempre aparecia para me ajudar. Sempre achei o comportamento dele tão caloroso e protetor. Além dos pais do meu companheiro e da minha família, Ben também sabia que Avan, o jovem Alfa, era meu companheiro.

- Não se preocupe, depois da cerimônia ninguém mais vai ser capaz de zombar de mim de novo. Ele disse que vai contar para todo mundo sobre nós esta noite. - Eu respondi.

- Ele fez? - Ben pareceu surpreso.

Eu acenou com a cabeça.

- Sim, ah, tenho que decorar essas flores para esta noite, então preciso sair.

Eu de repente me lembrei das minhas flores.

Ele olhou para as flores e então sorriu.

- Você foi ao vale buscar esses sinos de novo?

- É o favorito dele. - Eu disse com um sorrio.

Eu acariciei com gentileza as flores. Os sinos aos quais se referem eram as flores lírio-do-vale que cresciam lindamente à beira do rio de nossa Alcateia Brilho Vivo. Também era o símbolo de nossa alcateia. Quando as pessoas viam essas flores, sabiam que era a nossa alcateia.

- Ok, então vejo você esta noite. - Ben acenou com a cabeça e saiu correndo.

Olhei para cima e vi o sol prestes a se pôr. Então corri para dentro da casa da alcateia. A cerimônia ia começar em breve. E antes disso eu precisava me limpar e me preparar. Não podia conter meu sorriso como uma idiota. Depois daquela noite, seria capaz de chamá-lo de meu companheiro diante de todos sem hesitação. Estava passando pelos quartos quando de repente ouvi alguém gemendo. Um gemido alto que me fez parar no meu caminho. Franzi a testa e olhei ao redor. No canto havia um quarto onde a porta estava aberta um pouco. E o som vinha de lá.

Apertando os dedos em volta das flores, fui em direção a ele. Os sons começaram a ficar mais altos e mais selvagens. Então pude ouvir os sons de pele batendo que me deixaram com o rosto completamente vermelho. Eu não deveria estar fazendo isso. Mas não sei por que meu coração estava me impulsionando a ir e ver. Me acalmando, caminhei lentamente em direção à porta e, inclinando a cabeça, olhei para dentro.

A cama dentro do quarto estava tremendo violentamente enquanto duas pessoas se entrelaçavam totalmente nuas. O homem acima empurrou com tanta força que a garota gemeu ainda mais alto. Balançando a cabeça, virei a cabeça para sair. Por que eu vim aqui para ver isso? Eu queria me dar um tapa por isso. Caramba, me amaldiçoando, estava prestes a sair quando ouvi a garota gritar um nome familiar.

- Ah... Deus Avan, estou chegando... Ah...

Meu coração parou por um segundo e fiquei ali, enraizada no chão. Avan? Como....

- Sim, meu amor, chegue para mim... Chegue para o seu Alfa. - Então a voz do homem ecoou em meu ouvido.

Não... Como isso podia ser? Por quê.... Eu não pude deixar de irromper no quarto, interrompendo o casal em seu movimento. Eles se viraram e seus olhos se arregalaram de surpresa.

- Shyla...? - Avan se levantou e rapidamente enrolou uma toalha em volta de sua cintura. - Por que você está aqui?

Mas meus olhos não estavam nele, mas na mulher que puxava o lençol sobre seu corpo.

- Por quê? - Foi a única coisa que consegui articular. Olhando para as duas pessoas diante de mim, meus olhos se encheram de lágrimas...

Por que foi assim? Uma era meu companheiro e a outra era minha irmã?

- Olhem, isso não é o que parece. - Avan tentou explicar.

Não é o que parecia? Se não é, então o que é?

- Shyla, por favor, não entenda errado, é só... - Reese, que estava na cama, pegou uma camisa e rapidamente a vestiu e acredito que era a camisa de Avan que ela estava vestindo.

- O que está acontecendo? - A porta atrás de mim foi aberta de repente e eu não precisava olhar para trás para ver quem eram. - Avan, você... - Ouvi a voz do Alfa Deven atrás de mim.

- Papai, por favor, me ouça primeiro. Por favor, feche a porta. - Respondeu Avan, calmamente. Todos estão calmos naquele quarto, exceto eu, que estou ardendo de dor e traição.

- O que está acontecendo aqui? - O Alfa Deven perguntou novamente.

- Avan, você dormiu com Reese? - Ouvi Luna arfar.

- Mãe, por favor, me ouça primeiro, posso explicar. - Avan se aproximou de mim. - Shyla, me desculpe, eu estava distraído e não conseguia pensar claramente na sedução, mas não há nada com que se preocupar.

Olhei para ele de perto, meu coração estava doendo, mas ele disse que não havia nada com que se preocupar? Ele disse de forma tão casual que estava falando sobre um assunto normal como se não sentisse nenhuma culpa por ter me traído pelas costas.

- Shyla, me desculpe, mas por favor, não fique brava com Avan. Estávamos um pouco distraídos naquela hora, mas não somos culpados porque nos amamos. - A voz de Reese ressoou em meu ouvido, mas apenas adicionou mais combustível ao fogo que ardia dentro de mim.

- Amor? - Olhei para o rosto dela lacrimejante e impiedoso e depois para Avan, que ainda parecia tão calmo. - Você a ama?

Avan olhou para ela, que chorava em silêncio, depois disse para mim:

- Shyla, por favor, tente entender a situação, é verdade que a amo. E tudo o que aconteceu foi por nossa própria vontade, mas você...

- Então você me manteve em segredo porque está com ela? - Minha voz quebrou, quase gritei. - Mas ela não é a sua companheira.

- Eu sei disso. Também sei que você é minha companheira destinada e, é claro, cuidarei de você como um companheiro faria. - Avan pareceu triste.

- Cuidar? Devo me sentir feliz ao ouvir isso? Cuidar? Ele está brincando comigo?- , pensou Shyla.

- Avan, você está em seus sentidos? Do que está falando? - O Alfa Deven perguntou ao filho. - Você é o próximo Alfa da nossa alcateia, mesmo se se envolver com outras mulheres, não pode desprezar sua companheira. Você deve saber que apenas sua verdadeira companheira pode te dar força e poder.

Ele estava repreendendo seu filho ou lembrando-o de mim? Para ele uma companheira era apenas uma fonte de força e poder e ela não significava mais nada? Assim mesmo.

- Shyla... - Chamou a mãe.

Virei para a mãe que estava preocupada.

- Por que ela está tendo um caso com meu companheiro, mesmo depois de saber a verdade, mãe? Como minha irmã, ela deveria ser a que me apoia, mas veja como ela está traindo com o companheiro de outra pessoa. - Apontei para Reese, que estava chorando.

- Shyla, acalme-se querida. Afinal, ela é sua irmã. Seja um pouco de mente aberta. - Mamãe disse e depois olhou para Reese.

Minha boca se abriu enquanto olhava para ela. Ela é minha verdadeira mãe? Ser de mente aberta significa que devo aceitar meu companheiro tendo relações sexuais com outra mulher e especialmente se essa mulher é minha irmã?

- Mãe eu também sou sua filha, como você pode ser assim tão parcial comigo? Eu obedeci a tudo o que você disse todos esses anos, mas ainda assim ela é a única que você pode ver? - Mal podia acreditar. O que está acontecendo ao meu redor? Sinto como se nem mesmo fossem minha família. Eles parecem estranhos para mim agora.

- Shyla, como você pôde falar assim com sua mãe? - Papai andou para frente com raiva. - Por te criar todos esses anos você nos está dando essa atitude?

De repente uma bofetada forte caiu em minha bochecha e eu caí no chão.

Eu segurei minha bochecha e olhei para ele com lágrimas nos olhos.

- Papai....

- Não me chame disso. Nós te criamos todos esses anos, te dando tudo o que você precisa, mas você ainda não está satisfeita? - Papai repreendeu com raiva.

- Eu estava errada, papai? Eu só estava pedindo justiça para mim. Reese havia...

- Cale-se. Que qualificações você tem para acusar Reese? Se não tivéssemos te pegado e te trazido de volta aqui você teria morrido há muito tempo. - Papai gritou comigo. Seus olhos estavam escuros mostrando o quanto ele estava zangado.

- Querida, pare, do que está falando? - Mamãe segurou seu braço.

Me pegaram? Eu... Não sou filha deles? Fui adotada? Então finalmente posso entender por que são tão parciais mesmo que eu fosse sincera, eles estão apoiando a própria filha deles e quem sou eu? Uma adotada?

- Shyla, querida, não leve as palavras do seu pai a sério. Ele está apenas com raiva e preocupado com a sua irmã. - Mamãe disse imediatamente. Oh não, minha mãe adotiva na verdade.

Sou apenas uma órfã? Então que direito tenho de me intrometer? Eles estão mostrando meu valor e meus direitos aqui.

- Por favor, não grite com ela, pai. - Reese se aproximou e se agachou diante de mim. - Ela é minha irmã afinal de contas. - Então ela se inclinou para mim. - Você acha que um homem como ele vai te aceitar como sua companheira? Você deve saber o seu lugar e não se iludir mais. Além disso, me deixe dizer a verdade real... Você nunca teve o coração dele, não como uma mulher... nem como companheira. - Ela sussurrou no meu ouvido e se afastou. - Papai, por favor, não fique zangado, estamos errados hoje. Ela é apenas uma vítima aqui. - Reese se levantou e chorou novamente.

- Essa questão é séria, mas Avan, mesmo que você ame Reese, Shyla é sua companheira. - O Alfa Deven disse novamente.

Companheira? Eu queria rir tão alto até que minha barriga doesse. Sou apenas uma companheira que ele precisava para cumprir seu laço. Virei para olhar meu companheiro.

- Você sabia que fui adotada? - Eu perguntei a ele.

- Shyla, me desculpe, mas você também sabe como um Alfa eu preciso de uma companheira que possa governar ao meu lado. Assumir a responsabilidade pela alcateia como um todo. Mas você já passou pela idade da mudança e não poderá me ajudar no futuro. Mas mesmo sendo fraca, você ainda é minha companheira e temos um laço especial entre nós que não pode ser quebrado. Então espero que você entenda também meu problema e coopere comigo. Eu prometo que te darei tudo o que você precisa em sua vida e te farei feliz. Mas não posso te dar o título de Luna. Reese me ajudará a governar e, uma vez que ambas são irmãs, acredito que vocês podem se dar bem uma com a outra. - Avan disse. Ele não respondeu à minha pergunta, mas evitou usar outras palavras. Então ele sabia o tempo todo. Não é?

O que ele disse para se dar bem? Ele pensa que quero viver minha vida inteira nas sombras enquanto os vejo ter uma boa vida? Ele pode me dar tudo o que preciso? Em vez disso, ele já tirou tudo de mim.

- Shyla, querida, sei que você está magoada. Dê um tempo e pense sobre isso. Depois desta noite, Reese será declarado como Luna, mas apenas pelo nome, porque você é a verdadeira companheira de Avan. Portanto, acho que isso também será bom, além de todos concordarmos com esse ponto. Isso facilitará a vida de todos. - Ouvi o Alfa Deven tomar uma decisão.

Será que sou uma ferramenta para eles, para que possam decidir tudo sobre minha vida? Sou fraco porque não consegui me transformar. Devo ter a mente aberta porque minha meia-irmã e meu companheiro se amam? Eu deveria ajudar ele porque sou sua companheira e é minha responsabilidade? De repente, meu peito começou a arder como se algo estivesse subindo dentro de mim, mas não sei o quê?

- Avan, não deveríamos ter feito isso. - Reese caminhou em direção a Avan e agarrou seu braço.

- Não se preocupe, Shyla é madura. Ela entenderá a situação e nos ajudará. - Avan deu um tapinha gentil em seu ombro.

O companheiro deveria fazer você se sentir quente e protegido, mas eu não conseguia sentir nada além de vazio dentro de mim. Olhando para a pessoa à minha frente segurando outra mulher que, por acaso, era minha meia-irmã? Se isso está sendo chamado de vínculo de companheirismo, então eu me recuso a aceitar esse vínculo. Prefiro morrer sem um companheiro a ser uma sombra no escuro.

Me levantei do chão e coloquei minha mão sobre o peito. Eles não tinham nenhum sentimento ou preocupação por mim, mas apenas queriam me usar como uma ferramenta para seus benefícios. Mas eu também era um ser vivo que queria ser livre.

- É isso que você quer que eu faça? - Perguntei a Avan. Ele olhou para mim e depois sorriu.

- Sei que você me entenderá claramente. Ninguém me conhece melhor do que você. Shyla, sei que você me ama e estou muito feliz. Prometo que farei tudo por você.

Viver como substituto de meu companheiro? Não era isso que eu esperava nem imaginava. Ele queria que eu desse um vínculo de companheira a ele enquanto ele desfruta do calor de outra mulher em seus braços. É isso que chamamos de companheira? Se sim, então me recuso a ter um companheiro assim.

- Eu nunca concordei com você. - Respondi com o rosto vazio.

O sorriso no rosto de Avan congelou.

- O que você está dizendo, Shyla? Se você não concordar, o que fará? Quem cuidará de você? Pense nisso novamente. Eu prometi a você que lhe darei tudo o que precisar. Mesmo depois que o Reese se tornar minha Luna, você não perderá nada, e também desfrutará de uma vida de luna no quintal, só isso.

Olhei para o Reese e perguntou:

- Você já pensou no que aconteceria quando um dia encontrasse seu verdadeiro companheiro? Reese pareceu assustado.

- Shyla, do que você está falando? Diga sim ao jovem Alfa. - Ouvi meu pai adotivo dizer. Mas estou descuidada agora. Nem sequer me importo com o que ele pensa ou diz. Não sou parente dele, mas durante todos esses anos em que me ajudou, eu queria ser grato, mas com o tapa que ele me deu, devolvi toda a gentileza a eles.

- Você é meu companheiro, mas nunca está satisfeito comigo, ainda assim se envolveu com minha meia-irmã porque ela pode se transformar? E, além disso, quer que eu aceite sua proposta e me torne uma sombra de sua força? - Perguntei.

- Shyla, não é assim, você... - Avan começou.

- Eu não preciso disso. Guarde isso para você.

- Shyla, não é assim. Afinal, Reese é sua irmã. Vocês podem se dar bem e nós faremos a paz para nossa alcateia. - Mamãe sorriu.

Eu olhei para ela e depois para Avan.

- Não sou qualificado o suficiente para ser seu companheiro. Será melhor se você encontrar um qualificado para você.

Eu queria que ele fosse meu, ele é meu companheiro, mas ele nunca quis que eu fosse seu companheiro só porque eu não conseguia me transformar. Será que a culpa é minha?

- Olhe, Shyla, embora eu ame ela, nunca vou te abandonar. Você é minha companheira e é claro que está tudo bem comigo. Eu assumirei sua responsabilidade e você não precisa se preocupar com isso. - Avan sorriu, ainda tentando mostrar o quão razoável é seu ponto de vista.

Responsabilidade? Se eu não o conhecesse melhor, teria acreditado em suas palavras. Balancei a cabeça. Perdi tudo hoje. Tudo vem à tona agora. Sou um estranho que não tem nenhum direito, que é fraco e patético.

Mas se eu tiver que escolher entre meu companheiro e eu mesmo, então escolherei a mim. Mesmo que eu seja fraco, não deixarei que eles arruinem minha vida e decidam meu destino.

- Eu queria seu amor, mas você nunca teve sentimentos por mim. E agora não quero nada de você, nem mesmo o vínculo. - Cerrei os dentes. Ele me traiu pelas costas, mas não é culpado de nada.

- Shyla, o que você está fazendo?

Já que você não me quer, não vou mais te incomodar. Olhei para ele de perto e meu coração só sentia dor. Não há mais amor, exceto frieza.

- Eu me recuso a viver sob o mesmo teto de um casal que me trai. E é por isso que eu, Shyla Clarke, rejeito você, Avan Lowe, como meu companheiro para sempre. Nosso vínculo acabou de agora em diante.

Ouvi suspiros vindos de trás. Os olhos de Reese se arregalaram de choque.

- Shyla, o que você fez...

Não ouvi o que eles disseram enquanto reunia minha vontade e fugia dali. Eu queria ir para muito longe desse lugar. Não olhei para trás enquanto corria. Eu podia ouvir suas vozes chamando meu nome.

Mas agora eu realmente não me importo com nada. Não mais.