Biblioteca
Português

RENDIDOS AO AMOR

101.0K · Finalizado
Graciliane Guimarães
43
Capítulos
17.0K
Visualizações
9.0
Notas

Resumo

 O Playboy magnata Italiano Marino Navarro está no Brasil no hotel a negócios, e sem ser dar conta acaba deixando a porta do seu quarto aberta, por pura sorte é a salvação da jovem Liziane que está fugindo de ser abusada sexualmente, pelo seu asqueroso padrasto.        Com um encontro inusitado Marino e Liziane têm seus destinos cruzados com uma intensa noite de amor, mas logo cada um segue seu caminho, ao menos era essa a expectativa. Porém, como o destino sempre tem seus caminhos e surpresas, eles novamente acabam se reencontrando depois na Itália na Sicília, onde uma descoberta irá mudar a vida de ambos. Liziane acredita que Marino é casado, e o belo italiano terá bastante trabalho para mudar a opinião dela ao seu respeito, dando início ao um intenso e conturbado relacionamento que fará os dois serem rendidos ao amor.        

mafiadramaamor dolorosapossessivofemininasegredosdominanteCEObilionárioviolência

Antes de você

Capítulo 1 

             Rendidos ao amor 

                        Liziane 

Estava chegando na sala de aula do curso de arquitetura e paisagismo da famosa Universidade Anhembi Morumbi, uma das mais conceituadas de São Paulo, meu sonho vem se realizando dia após dia, porém eu não sou popular e sequer tenho meia dúzia de amigos, na verdade, tenho duas amigas e Marcelo, porém todos eles fazem outros cursos, pois segundos eles nenhum tem ânimo para o universo da construção.

Laura e Helen serão futuras médicas, e Marcelo será um brilhante advogado, seguidamente um juiz.

Somos de Franca, uma cidade do interior de São Paulo, porém eu estou aqui na capital há seis anos já, desde do casamento da minha mãe Elisa, e do meu padrasto, ele é um grande empresário do ramo de hipermercados!

Ambos se conheceram quando ele abriu uma filial em Franca, mamãe foi trabalhar como gerente, e devido a sua beleza, que chamava muita atenção, eles acabaram se apaixonando, e em seis meses se casaram, e então nos mudamos, eu no início odiei ter que mudar, e ficar longe de todos meus amigos, e dos meus avós, mas devido a tudo que mamãe perdeu ao me ter...

Enfim resolvi colocar ela em primeiro lugar e vim com eles para a capital, mamãe foi quase miss São Paulo, porém ela perdeu o prêmio por já ter um filho, no caso eu! 

Moramos até então com meus avós, até mamãe conseguir se formar em administração e poder nos sustentar com dignidade.

Até conhecer meu padrasto Romero Falcão, ela não havia se envolvido com ninguém, a sério, então senti que o melhor era mesmo apoiá-la, e por isso estou aqui hoje, como diz o meu padrasto graças a ele! 

É, realmente eu não posso reclamar, moramos num belo sobrado, no centro da cidade, pude fazer vários cursos de línguas, graças a isso, poderei ir daqui a vinte dias para a Itália...

Mais exatamente a charmosa Sicília na cidade de Palermo, pois ganhei o concurso do projeto Júnior de arquitetura da faculdade, me dando assim a chance de levar o meu projeto a disputar um novo concurso internacional de um hotel Resorts na Itália, que será construído na Sicília, eu terei a chance de ter trinta a cinquenta por cento do meu desenho a ser implantado na obra, se eu conseguir impressionar o dono da Incorporadora! 

Além do meu projeto, tem mais quatro, de outros países na disputa! 

Realmente meu padrasto tem um pouco de razão, apesar que odeio admitir.

Mas a aula começou e preciso me concentrar ao máximo...

Apesar que só consigo pensar em ir para o Palace hotel, neste fim de semana para comemorar meu aniversário de vinte um anos...

Finalmente irei poder alçar voo, e irei a minha primeira viagem internacional...

Itália aí vou eu sorrir... voando na meu mundo particular de imaginação.

"Calma menina ainda é quarta feira, foca na aula"... 

Fingindo uma seriedade, que era só por fora mesmo, sigo ouvindo o professor...

A aula finalmente acabou, e resolvi seguir para a praça de alimentação da Universidade...

Logo encontro com Marcelo, que sempre faz questão de me comprimentar com beijo no rosto, ele pensa que eu não sei, que ele é afim de mim, e só não chegar junto, devido ao meu padrasto que morre de ciúmes de mim.

Marcelo é lindo, ele é o sonho de qualquer garota, mas eu não tinha mínima vontade de me envolver com um namoro, e por isso me sentia ótima sem ninguém! 

Na verdade tive um leve namoro, mas logo Rodrigo, o vizinho, desistiu mais por culpa do meu padrasto, que o ameaçou.

Eu não liguei no momento, pois nem gostava dele, e meu foco era estudar e mal tinha tempo para nada, então até sentir um certo alívio, pois estávamos começando a namorar sério, e Rodrigo já queria partir para a fase de ir para cama.

Então foi melhor assim, mas, eu nunca pensei que ainda seria virgem aos vinte um anos, ainda mais sendo filha de pais tão jovens, minha mãe me teve aos quinze anos, meu pai tinha dezessete, mas logo ele foi assassinado com várias facadas, e então mamãe foi mãe solteira.

Não sei porque, mas sinto que estou prestes a viver o melhor ano da minha vida! 

Não que eu tenha do que reclamar, até aqui só fui privilegiada e tenho muita gratidão por isso! 

Mamãe finalmente conseguiu engravidar, e está radiante com a chegada do filho tão sonhado com seu marido.

Ela merece ser feliz, e se depender de mim eu farei qualquer coisa para manter ela feliz!

Saindo do meus devaneios, pois Marcelo estava já quase indo embora, devida a falta completa de atenção! 

    — Liz, você vive num mundo à parte, né? — Fala Laura.

E logo completa Helen, você não vê, que Marcelo tá caidinho por você, amiga até foi embora, risos.

     — Então meninas, ele é um fofo, mas eu não estou afim de ninguém, meu foco é estudar, me formar, e abrir meu escritório, ou então trabalhar em uma grande Incorporadora, mas tem que ser a mais top das galáxias, sorrir...

— Amiga, você diz isso porque ainda não encontrou um homem que mexeu com você! — Pois eu tenho certeza, que o dia que você o encontrar, irá mudar de idéia, diz Helen! —Você não concorda comigo Laura?

     — Completamente, vocês não vêem como estou? Vivo para meu Eduardo, e juro que preferiria morrer, a ter que ficar sem ele! 

       — Nossa! Laura, que forte dizer isso, eu hein! — Não quero esse tipo de amor para mim não, logo digo! 

Prefiro viver como estou! Aí, meninas estou radiante e morrendo de ansiedade para chegar sábado e pode ir para o Palace hotel, vocês vem né? 

Ambas respondem, que sim, para meu alívio, já que infelizmente Marcelo não poderá ir, pois estará viajando com seus pais.

Mas tudo bem, eu já fico feliz de ter vocês lá afirmei a minhas amigas, então continuei meu relato...

Mamãe está grávida e radiante também, então será uma comemoração dupla! 

      — Que legal amiga, assim o chato do seu padrasto lagar do seu pé! 

   — Assim espero Helen, mas deixemos isso para lá, me conta como foi a aula de vocês hoje? 

       — Liz nem te conto, hoje foi o dia de ver um coração aberto e entender como funciona, aí sinceramente é emocionante ver como ele bate dentro corpo, e depois ver por dentro, é incrível e perfeito só sendo obra de Deus mesmo.

E sua aula, como foi? 

        — A minha hoje foi como projetar ambientes minimalistas com auxílio de falsos pedidos feitos por nós mesmos da sala, foi preciso criar um desenho rápido de um projeto escolhido pelo suposto cliente, escolher um cômodo do tal projeto, e fazer o desenho para que o cliente aprovasse ou não! 

Infelizmente caí com a Beatriz Martinez, como minha suposta cliente, e aí vocês já sabem a resposta, risos...

Mas tudo bem, eu não fiquei chateada, ela tá morrendo de raiva, por eu ter ganho como revelação Júnior, e meu projeto ter sido escolhido, para representar a universidades na Itália, na Sicília, e ainda eu ir apresentá-lo pessoalmente, e até estagiar se tudo der certo...Então eu até agradeci.

      — E por essas e por outras, que prefiro minha profissão! falou Laura.

      — Digo mesmo, concorda Helen.

         —Tudo bem meninas, agora vamos, hoje é meu dia de motorista de vocês, por isso vamos embora logo, porque o trânsito tá osso hoje! 

           — Se fosse só hoje, Liz...

Mas infelizmente é a realidade de uma grande metrópole como São Paulo.

Entramos no meu carro, que ganhei ano passado do meu padrasto, era um modelo HB20, prata automático, um bom carro, apesar que odeio admitir isso! 

Meu padrasto tem sempre estado presente, apesar que virá mexer vejo seus olhares para mim, mas logo ele disfarça, e eu finjo que não vejo! 

E até o momento seguimos tranquilos, ele tem quarenta anos, e, é muito bonito...

Mas jamais eu olhei ele com segundas intenções, e espero sinceramente que ele também não!

Mamãe é louca por ele, e torço pela felicidade de ambos.

         — De novo Liz, viajando ai no seu mundo da imaginação? — Nossa, dá até medo ter uma motorista distraída como você, risos...

          — Para com isso Helen! — A Liz mesmo tendo esses pensamentos voadinhos dela, e mais responsável que nós duas juntas no trânsito, risos.

          — Verdade Laura, te dou razão, desculpa Liz, vamos então. — Amanhã sou eu, aff esses rodízio de placas de carros, em São Paulo é um saco! — Mais ao menos podemos passar um tempo juntas conversando.

           — Verdade meninas, ao menos serve para isso...

Seguimos até o apartamento de ambas, pois elas dividiam um apartamento, que era no centro, a cinco quarteirões de distância da minha casa, e assim fazíamos o bendito rodízio de placas.

Já eram quase cinco da tarde, quando cheguei em casa, eu iria tentar melhorar ainda mais meu projeto do concurso, e ia seguindo direto para meu quarto, mas antes meu padrasto me parou é disse que quer conversar, então no mesmo momento fiquei preocupada, pois sei que mamãe está grávida.

           — Pode ficar tranquila Liziane, sua mãe está bem, ela até está na aula de pilates.

         — Que bom, digo, então é sobre o quê? — Fui logo perguntando?

           — Vem, entrar aqui no escritório.

           — Romero, de verdade eu preciso ir estudar, e fazer um trabalho importante!

             — É rápido, na verdade eu quero te fazer uma pergunta? 

    

             — Então faça! — Aqui mesmo.

             — Tudo bem, farei com prazer. Liziane você ainda é virgem? 

              — Sim! — Por que? 

               — Por nada!...

Pode ir estudar, vá querida.

Sem entender a conversa bizarra, que acabei de ter com meu padrasto, vou para meu quarto e tranquei a porta! 

Autora: Graciliane Guimaraes.