Biblioteca
Português

O HIPERSEXUAL

69.0K · Finalizado
Érotique+ TV
31
Capítulos
1.0K
Visualizações
8.0
Notas

Resumo

Florette, uma adolescente em 1956, é assediada pelos hormônios da puberdade. A jovem inocente e perturbada não entende os impulsos e pensamentos sexuais que eles desencadeiam. Ela está assustada, frustrada, mas sente um prazer inesperado. Sua jornada o leva da descoberta e da confusão à exploração e experimentação e, finalmente, à iluminação. Ao longo de tudo isso, ela enfrenta altos e baixos emocionais, uma montanha-russa de tormentos dolorosos e emoções emocionantes. O HIPERSEXUAL, uma história que nos levará às profundezas do êxtase. Por Lolo

romanceamoradultériopossessivobxgdramafanficbeauany

01

*** *** ***

*** *** ***

-PÁGINA: ERÓTICO + TV

-TÍTULO: O HIPERSEXUAL

-AUTOR: LOLO

-VOLUME I:

-CAPÍTULO 01:

À medida que meu aniversário de dezesseis anos se aproximava, fui assediado por desejos incontroláveis ​​provocados pela puberdade. Insistência, não entendi. Foi uma época traumática para uma jovem como eu, especialmente porque estávamos na década de 1950, quando o sexo era um assunto tabu e não havia educação sexual ensinada nas escolas ou na Internet. As mudanças físicas em meu corpo eram visíveis, mas a puberdade trouxe outras mudanças que não apresentavam sinais externos. Os hormônios produziam impulsos e pensamentos sexuais que confundiam uma garota inocente e sem noção como eu. Frustrante. Apavorante. Até agradável de uma forma incompreensível. E essas mudanças hormonais foram mais traumáticas para mim do que para uma garota típica, porque eu estava lutando contra a hipersexualidade, o termo médico atual para transtorno obsessivo-compulsivo ou dependência sexual. Na década de 1950, era simplesmente chamada de ninfomania. Depois de todo esse tempo, ainda me lembro com muita clareza daqueles anos de passeios em montanhas-russas, tormentos dolorosos e emoções emocionantes, como se fosse ontem.

Por onde devo começar?

Suponho que 5 de junho de 1956 seja um ponto de partida tão bom quanto qualquer outro. Minha família comprou recentemente nossa primeira televisão, um suporte de madeira maciça com uma pequena tela tubular preta e branca no meio. Naquela noite, Eden Lopi foi o convidado da vibe Luc Man. Eu tinha ouvido Eden no rádio e adorava sua voz, e as músicas me faziam vibrar no ritmo, mas até então nunca o tinha visto. E agora lá estava ele na pequena tela da minha sala de estar, a um metro dos meus olhos, enquanto eu estava deitado de bruços, perto demais da TV. Meu queixo estava apoiado nas mãos e meus pés estavam levantados atrás de mim, cruzados na altura dos tornozelos.

Eu sabia que Eden ficaria velho. Não tão velho quanto meu pai, mas era adulto. Todos os cantores eram. Quero dizer, meu Deus, ele tinha vinte e um anos. Isso é idade para uma garota de quinze anos. Mas meus olhos estavam grudados nele. A maneira como ele se movia me dava arrepios. A maneira como ele balançava o corpo enquanto cantava me deu um frio na barriga, especialmente no final da música, quando ele a estendeu com muitos solavancos e guinchos em câmera lenta. Eu não sabia nada sobre sexo na altura, mas sabia que rapazes e raparigas eram diferentes e os meus olhos estavam fixos nas suas ancas e na zona abaixo da sua cintura. Eu mal conseguia respirar. E aquele friozinho na barriga fez minha pele formigar e me fez apertar as coxas. Acho até que estava balançando, cravando meu púbis no carpete em que estava deitado. Não que eu perceba isso. Mais tarde naquela noite, quando tirei a calcinha, pensei que tinha sofrido um acidente e fiz xixi nela.

Muitos anos se passaram desde aquele dia memorável. É claro que sei muito mais hoje do que naquela época, mas me lembro dessa ingênua garota de quinze anos em 1956. Minhas lembranças são dominadas por sua confusão, curiosidade e paixão nascente.

No dia seguinte, peguei todo o dinheiro que minha avó me deu de aniversário, bem como o dinheiro que ganhei fazendo minhas tarefas domésticas, e corri para a loja de discos mais próxima, onde comprei alguns álbuns do Éden. Quando cheguei em casa, empilhei os pequenos discos no suporte do meu toca-discos e sentei de pernas cruzadas na cama para ouvi-los. Quando ele tocava, eu pulava da cama e imitava os movimentos e movimentos do quadril de Eden que eu o tinha visto fazer na TV. Na época, eu nunca tinha dançado, então, olhando para trás, provavelmente parecia uma stripper convulsiva. Mas mesmo sem saber, foi a primeira vez que usei minha pélvis em um maldito movimento.

Alguns dias depois, voltei à loja de discos para comprar um pôster do Éden. Ele usava um terno branco com a gola levantada nas costas e um violão pendurado no ombro, as pernas abertas e os joelhos dobrados, e os quadris projetados para a frente com os calcanhares fora do chão. Seu cabelo preto caía na frente dos olhos. Olhos azuis gelados, o que me surpreendeu já que a televisão era preto e branco. Pendurei o pôster na parede, ao pé da cama, para poder olhar para ele enquanto estava deitado nos travesseiros. Fiquei olhando para aqueles olhos azuis gelados por horas. Tive que retirar o pôster de Ben Laar para colocar o pôster do Éden, mas encontrei outra parede para o outro homem sexy.

No mesmo dia em que pendurei o pôster do Éden, minha mãe entrou no meu quarto. Ela olhou para as roupas espalhadas pelo chão e penduradas nas costas de uma cadeira.

Ela disse com o tom reservado de uma pergunta que não esperava resposta;

➖Florette, o que eu te falei sobre manter seu quarto limpo? Limpe essa bagunça imediatamente.

Eu estava deitado na cama olhando para Eden, então balancei as pernas para o lado e me levantei. Minha mãe se virou para sair quando viu o pôster de Ben Laar.

Ela começou;

➖Por que você se mudou…?

Mas ela parou quando seus olhos se voltaram para onde estava, na parede, ao pé da minha cama;

➖MÃE: Florette Josée, tira esse desperdício culpado!

➖EU: Mas, mãe, eu gosto.

➖MÃE: É o diabo. Ouvi o que ele fez no programa de Luc Man. Se eu não estivesse no banheiro, teria desligado a maldita TV. Se é isso que vão passar na TV, não precisamos disso.

➖ME: Eu amo a música dele. Ele está conectado.

➖MÃE: É o diabo. A maneira como ele se movia era pecaminosa. Todo mundo diz isso.

Isso me surpreendeu. Ele cantou e se moveu com a música. Por que foi um pecado?

➖EU: Mas, mãe, eu paguei com meu próprio dinheiro.

➖MÃE: Eu não me importo! Remova agora!

Meu pai enfiou a cabeça no meu quarto;

➖Por que todos esses choros?

A mão da minha mãe tremeu quando ela mostrou o pôster do Éden;

➖Olha o que ela tem pendurado na parede.

Meu pai entrou na sala e olhou o pôster;

➖PAI: E daí? Todas as garotas o amam.

Minha mãe gritou;

➖É o diabo!

➖PAPA: Olha, não é Georges Guétary, mas é o tipo de música que as crianças gostam hoje. Acho que é barulhento, mas meus pais não gostavam de Guétary quando eu era jovem.

➖MÃE: eu quero!

Eu nunca tinha visto minha mãe tão irritada. Seu rosto estava vermelho e as veias nas laterais das têmporas eram proeminentes. Ela até estava com os punhos cerrados.

➖PAI: Liliane, querida, vamos conversar sobre isso.

Meu pai agarrou o braço da minha mãe e arrastou-a para fora do quarto. Ouvi uma discussão vindo do quarto deles no corredor, mas as paredes abafaram o que estava sendo dito. No entanto, minha mãe nunca me pediu para retirar o pôster do Éden. Embora ela franzisse a testa toda vez que o via.

O próximo grande acontecimento que levou à minha vida como ninfomaníaca ocorreu no final do verão. Foi pouco antes do meu aniversário de dezesseis anos. Conheço esta data: 1º de setembro de 1956. Em Caracas, depois das férias de verão, as aulas começavam na primeira segunda-feira depois do Dia do Trabalho, então nunca pude comemorar meu aniversário na escola. Não que algo assim tenha acontecido no ensino médio, mas perdi todas as comemorações de aniversário no ensino fundamental. No ensino fundamental, quando era aniversário de alguém, essa pessoa se sentia especial quando sua turma comemorava seu aniversário. Mas para pessoas como eu, cujo aniversário foi durante as férias de verão, cada turma teve uma comemoração de aniversário em grupo para todas as crianças cujo aniversário foi no verão. Sempre me senti enganado por ter que compartilhar meu dia especial com outras pessoas. Se ao menos eu tivesse nascido algumas semanas depois.

Bello Monte era então densamente povoado. É sempre assim. Meu bairro tinha fileiras de casas de tijolos vermelhos ligadas de uma esquina a outra. Todos os meus amigos estavam virando a esquina e a escola ficava em uma esquina suja, do outro lado da rua, a um quarteirão de distância. Tudo estava a uma curta distância. Esses poucos blocos representavam todo o meu mundo.

Naquele segundo dia fatídico, Grace e eu estávamos na casa de Dorene. Nós três tínhamos apenas alguns meses de diferença, então estávamos na mesma turma. Éramos melhores amigos desde que me lembro, morando próximos um do outro e indo para a escola juntos. Não tínhamos segredos um para o outro. Bem, finalmente consegui quando o sexo se tornou uma parte importante da minha vida, mas não naquela época. Eu era filho único, enquanto Grace tinha um irmão mais novo e Dorene tinha um irmão mais velho e uma irmã mais velha.

Nós três estávamos sentados na cama de Dorene. Dorene estava encostada na cabeceira da cama com os travesseiros atrás dela e Grace e eu estávamos sentados de pernas cruzadas de frente para ela.

Grace perguntou a Dorene;

➖Então, qual é o grande segredo?

Dorene declarou;

➖Você deve prometer não dizer nada

Ela então olhou para mim;

➖Você também. Vocês dois.

➖GRAÇA: eu prometo

➖EU: Eu também.

Dorene balançou a cabeça;

➖Não, você tem que cruzar o coração e jurar que se contar para alguém, você morrerá.

Inclinei-me para frente, todos os músculos do meu corpo tensos. Parecia importante. A última vez que me disseram para fazer esse tipo de promessa foi quando Grace nos contou que viu a coisa do irmão mais novo e a descreveu. Lembro-me de ouvi-la com a respiração suspensa, e naquele momento não sabia por que queria ouvir cada detalhe, embora continuássemos franzindo a cara e dizendo: Ahhhh ahhhh...

Pensando bem, provavelmente foi por isso que continuei olhando para Eden abaixo da cintura, mas nunca teria admitido isso para mim mesmo na época.

Grace declarou enquanto fazia uma cruz no seio esquerdo com o dedo indicador;

➖Juro que se contar a alguém vou morrer

Todos os olhos estavam em mim.

Aí eu digo, fazendo a mesma cruz no peito;

➖Juro que se contar a alguém, espero morrer

Grace e eu nos inclinamos para frente. Os olhos de Dorene se voltaram para a porta fechada do quarto e depois para nós.

Ela sussurrou;

➖Minha irmã disse algo para mim

Mordi meu lábio inferior. Sua irmã era mais velha que nós e sabia mais. Até então, foi lá que recebi minha educação sexual, mesmo que nem tudo estivesse correto. Eu mal podia esperar para ouvir o que era.

Grace perguntou impacientemente quando Dorene não continuou;

➖Então?

➖DORENE: Estávamos discutindo sobre algo quando de repente ela disse: Você está tão tenso que precisa ter um orgasmo.

Perguntei;

➖O que é isso?

Dorene declarou antes de voltar à sua história;

➖Foi o que perguntei a ele. Ela ficou vermelha e me disse para esquecer. Mas você me conhece, eu não deixaria isso passar. Continuei incomodando ela. Finalmente, ela me contou. Ela disse que era sobre sexo.

Grace e eu nos inclinamos ainda mais, prendendo a respiração. Era importante saber tudo relacionado ao sexo.

Dorene declarou;

➖Ela disse que era algo que tanto meninas quanto meninos tinham, mas era diferente para uma menina e para um menino. Digo que minha mãe fazia os pássaros e as abelhas falarem comigo.

Grace e eu assentimos. Dorene era alguns meses mais velha que nós. Fiquei grato por ouvir isso do meu amigo. Eu teria morrido de vergonha se minha mãe falasse comigo sobre qualquer coisa relacionada a sexo.

Grace disse com naturalidade;

➖O menino coloca a coisa dele na menina e ela engravida

Mas eu sabia que ela não sabia do que estava falando mais do que eu.

➖DORENE: Não se trata apenas de colocar dentro. Ele deve estar esguichando coisas nela. É assim que ela engravida. Coisas, sim. Agora eu sei que se chama orgasmo quando o garoto goza suas coisas.

Mais como uma pergunta do que como uma afirmação, eu digo;

➖Mas sua irmã disse que você precisava de um orgasmo. Não temos nada onde esguichar as coisas.

Dorene declarou;

➖Eu não disse que ela falou coisas sobre garotas que jogaram

Eu poderia dizer que ela estava frustrada por nos contar mais do que ela realmente sabia.

➖DORENE: Tudo o que ela me disse foi que uma garota se sente bem quando você toca sua boceta e ela tem um orgasmo. Ela disse que foi a melhor sensação de todas.

Eu não tinha ideia do que Dorene estava falando. Olhando para Grace, ela também não. Até Dorene parecia confusa.

Grace perguntou enquanto se sentava;

➖Esse é o grande segredo? É por isso que tivemos que “esperar morrer”?

CONTINUA...