Biblioteca
Português

(MOrro) Um amor de infância

60.0K · Finalizado
Palomakemm
32
Capítulos
1.0K
Visualizações
9.0
Notas

Resumo

Heloise e Rk eram amigos de infância, eles eram muito mais que amigo de infância, Rd embaixo de uma árvore na quadra perguntou se Heloise viraria a sua fiel e ela disse que sim, então ele a prometeu que quando ele tornasse dono do morro, ele assumiria ela como sua fiel. Só que a vida separou eles, e cada um tomou um rumo, Heloise saiu do morro e foi viver em São Paulo com sua mãe, após a morte dela, Heloise teve que se virar sozinha, virou maquiadora e começou a cursar direito e voltou ao Rio de Janeiro, Rk se tornou o dono do morro da Rocinha, ele nem lembrava mais de Heloise, até que um certo dia o destino cruza o caminho dos dois novamente, fazendo com que eles se encontre de frente para a morte.

favelafemininaromanceamoramor verdadeirosenhora protagonista

PROLOGO

Heloise narrando

Eu olho para o relógio e as horas passam e passam, eu ando de um lado para o outro esperando alguma resposta ou pelo menos uma ligação, eu jamais achei que viveria um momento assim.

— Você ainda está aqui? – A voz dele soa e eu olho para trás vendo ele abrir porta – eu não mandei você ir embora do morro. Vou ter que te colocar eu mesmo para fora?

— Você me deu um prazo.

— E ele está se esgotando Heloise – RK fala me encarando

— Porque Henrique? – eu questiono

— Porque o que garota,?

— Eu não posso acreditar que você tenha mudado tanto.

— Se passou 14 anos desde que você foi embora, você achou que eu continuaria aquele moleque que comia meleca na hora do recreio?

— Eu não posso acreditar que você tenha virado esse demônio – eu olho para ele

— Se voicê não acredita e julga, faz o que eu mandei, vaza de dentro do meu morro.

— Eu não vou ir embora.

— Se você não ir embora Heloise , eu juro que te meto uma bala no meio da tua cara – ele fala.

— Eu não fiz nada para você criar ódio de mim – eu bufo – eu não fiz nada, eu apenas neguei te beijar no baile. Isso é o que? Ciúmes?

— Você só pode está maluca – ele fala nervoso e vindo em minha direção – você realmente acha que eu teria ciúmes de você? Você entra no meu morro, faz o diabo a quatro e agora vem dizer que eu tenho ciúmes de você?

— Tem algum outro motivo para você está me expulsando do seu morro a não ser que eu esteja ficando com o seu primo? – ele me olha nervoso. – Jv?

— Você pode ficar com quem você quiser – ele fala – até mesmo com o demônio.

— Ai eu teria que ficar com você – eu falo e ele me olha

— Vaza do meu morro.

— Você não pode me expulsar.

— Vaza, se não eu te mato.

— Eu não vou embora – eu olho para ele – eu espero você na minha casa para me tirar daqui.

— Você tem dois dias.

— Eu já disse que não vou ir embora – eu encaro ele novamente - nem nos seus melhores sonhos.

— Você vai – ele fala

— Você sabe que eu não tenho nada sério com Jv? – eu pergunto para ele.

— Você não é de confiança, você é suja que nem seu pai.

— Não coloque meu pai no meio e nem me compare com ele.

— Maldita hora que eu deixei você subir de volta nesse morro – ele fala

— E bagunçar sua vida Rk? – eu questiono – é esse seu medo, não é mesmo? – ele me olha com raiva e eu abro um pequeno sorriso.

Eu saio de dentro da sua casa e desço em direção a minha, eu entro dentro de casa nervosa e com muita raiva dele, ele estava querendo me expulsar apenas por ciúmes e porque neguei de ficar com ele na frente de todo mundo.

Infantil, ele é um merda de um dono de morro infantil, eu não consigo acreditar que ele tenha virado dessa forma.