Biblioteca
Português

Médico Milagroso Papai

437.0K · Em serialização
-
398
Capítulos
9.0K
Visualizações
8.0
Notas

Resumo

Traído por sua ex-esposa e com sua filha gravemente doente, Lachlan Willis está perdido até herdar o legado do dragão divino. A partir de então, ele se transforma em um médico milagroso e sacode o mundo!"Não posso cair porque atrás de mim estão todas as pessoas com quem me importo!"

amorvingançaurbemagia

Capítulo 1 Papai dá o primeiro passo

"Papai, está doendo! Estou morrendo..."

"Não estou recebendo o tratamento, está bem?"

"Não quero mais me sentir magoado assim. Não quero mais que você gaste dinheiro comigo."

"Você pode me levar para casa? Eu quero ir para casa... realmente quero ir para casa..."

Dentro da enfermaria da UTI, um pequeno corpo jazia ali. O outrora delicado e adorável rostinho estava pálido como papel, mas o sangue continuava escorrendo da boca e do nariz, com manchas de sangramento por todo o corpo!!!

Uma pequena mão, usando toda a sua força, agarrou a mão de Lachlan Willis com grandes olhos cheios de dor e relutância em deixar seu pai!

Os olhos de Lachlan estavam vermelhos e ele sentiu como se seu coração estivesse sendo picado por uma agulha. A dor era dez mil vezes pior do que o ferimento de faca em seu rim esquerdo.

"Nora, seja boazinha. Com certeza encontrarei uma maneira de curá-la. Quando você melhorar, eu a levarei para casa e farei asinhas de frango fritas para você, está bem?"

Lachlan segurou a mãozinha e sufocou as lágrimas enquanto falava.

"Você está mentindo. Sei que não posso ser curado. Guarde o dinheiro. Quando eu morrer, você ainda precisará viver."

"Papai, por favor, não gaste mais dinheiro comigo..."

Enquanto ele falava, a menina se esforçou para levantar a cabeça pequena e tirou um pingente de jade em forma de dragão do pescoço.

"Esse pingente de jade é inútil para eu usar. Deixo que você o use e que ele o abençoe!"

Esse pingente de jade era uma relíquia deixada pelo pai de Lachlan. Dizia-se que era uma herança passada de geração em geração na família Willis e que tinha a capacidade de afastar doenças e evitar infortúnios.

Depois que Nora adoeceu, Lachlan colocou o pingente de jade na pequena, na esperança de abençoá-la.

Mas agora, parecia que todos os esforços para evitar doenças e infortúnios eram apenas ilusões! Ao ouvir essas palavras, Lachlan sentiu seu coração ser cortado com uma faca.

Ele segurou firmemente o pingente de jade que ainda carregava o calor de Nora, com lágrimas escorrendo incontrolavelmente pelo seu rosto. Nora tinha apenas cinco anos de idade, mas era tão madura para sua idade. Quanto mais responsável ela se tornava, mais o coração de Lachlan se dilacerava!

Parecia que havia um caroço em seu peito que ele não conseguia expelir, deixando-o louco! Sua filha seguiu o pai inútil e nunca pôde desfrutar das alegrias deste mundo - será que ela iria deixá-los? Não! De jeito nenhum! Mesmo que tivesse que arriscar sua vida e reputação, ele se certificaria de que sua filha continuasse vivendo.

"Sr. Willis, o senhor já usou o pagamento da última vez. O senhor vai continuar com o tratamento? Se usarmos uma medicação especial para a condição de sua filha, talvez ela possa aguentar por mais alguns dias. Talvez até encontremos um doador de medula óssea compatível nos próximos dias", perguntou Jason Saunders a Lachlan, sem expressão.

"Trate-a! É claro que a trataremos!" Lachlan agarrou-se ao braço de Jason e implorou desesperadamente: "Dr. Saunders, por favor, continue tratando minha filha com medicação especial! Eu lhe imploro - Nora não pode morrer!"

"Pague primeiro antes do tratamento", respondeu Jason com indiferença.

"Tudo bem, então vou juntar dinheiro imediatamente!"

"Dr. Saunders, por favor, dê-me um remédio para minha filha!" Lachlan implorou desesperadamente.

"Por favor! Estou lhe implorando!", continuou ele, saindo correndo do quarto do hospital como um louco.

Atrás dele, Jason e várias enfermeiras sussurravam e suspiravam em solidariedade.

"Como poderíamos lhe dar remédios primeiro? Ah..."

"Ouvi dizer que aquele cara acabou de vender um de seus rins para pagar o tratamento da filha."

"Pobre pai... mas sem dinheiro, tudo é inútil."

Nesse momento, Lachlan saiu correndo do hospital como um louco, mas parou na entrada.

Dinheiro! Dinheiro! Dinheiro!

Agora, o dinheiro era a única esperança de sobrevivência de Nora.

Mas de onde ele poderia tirá-lo?

Ele se deu conta de que já havia tomado emprestado tudo o que podia para levantar fundos rapidamente antes. Sem nenhuma outra opção, Lachlan discou um número em seu telefone!

A essa altura, tudo o que ele podia fazer era tentar implorar a ela, mesmo que isso significasse sacrificar seu orgulho e sua dignidade.

Mas, comparada à vida de Nora, qual era a importância de sua dignidade?

"Quem está falando?"

Do outro lado do telefone, uma voz doce e sensual atendeu.

"Sou eu, Lachlan."

"É você? Por que está me ligando? Estamos divorciados há muito tempo!" O tom coquete de antes desapareceu assim que Claudia ouviu que era Lachlan.

Claudia Carter não era apenas a ex-esposa de Lachlan, mas também a mãe biológica de Nora. Na época em que estavam juntos na faculdade, Lachlan teve algum sucesso com sua pequena empresa e faturou algumas centenas de milhares de dólares por ano. Claudia era a bela do departamento e aproveitou-se de sua boa aparência para seduzi-lo em uma reunião de classe. Eles acabaram se casando.

As coisas estavam bem no início; Claudia até deu à luz sua filha Nora. No entanto, tudo mudou quando Nora foi diagnosticada com leucemia.

Para pagar o tratamento de Nora, Lachlan gastou todas as suas economias e até hipotecou sua empresa antes de vendê-la completamente. Ele passou de classe média a falido da noite para o dia.

Claudia revelou suas verdadeiras cores depois disso; ela se tornou fria e materialista em relação ao marido, que havia passado por momentos difíceis devido à doença da filha. Ela obstruiu repetidamente qualquer tentativa dele de gastar dinheiro no tratamento da doença da filha.

Além disso, ela começou a se comportar de forma inadequada fora de casa e, mesmo antes de se divorciar, envolveu-se com um indivíduo rico da segunda geração, planejando seu próprio caminho. Finalmente, há um mês, ela deu início ao divórcio e expulsou Lachlan e a filha do casal sem dó nem piedade.

Como mãe biológica, ela nem sequer veio ver a filha em um mês, como se tivesse escapado de uma praga! Se não fosse pelas circunstâncias que o forçaram, Lachlan nunca teria entrado em contato com ela.

"Claudia, você pode... me emprestar algum dinheiro?" Lachlan perguntou com dificuldade.

"Hah... você está me pedindo dinheiro? Você é realmente incrível. Como foi que você ficou assim? Eu devia estar cego para me casar com você. Ainda bem que acordei cedo", Claudia zombou e ironizou.

"Saia daqui. Quem você pensa que é?"

Ao ouvir isso, o coração de Lachlan se afundou. "Nora está prestes a morrer!"

"Se não pudermos pagar as despesas médicas, Nora morrerá!"

"Claudia, por favor, me empreste 20 mil dólares por causa de nossa filha! Não? Então, que tal 10 mil?"

"Com certeza vou lhe devolver o dinheiro! Definitivamente!" Lachlan disse com urgência e com medo de que Claudia desligasse o telefone na cara dele.

Houve silêncio do outro lado do telefone por alguns segundos depois que ele terminou de falar.

"Sinto muito, mas estou vivendo bem com meu atual marido agora. A leucemia não pode ser curada; é apenas um poço sem fim. Esqueça isso..." A linha caiu antes que ele pudesse dizer mais alguma coisa.

O som frio do tom de ocupado fez com que o coração de Lachlan parecesse estar congelado. "Claudia, você tem um coração tão cruel!", ele pensou consigo mesmo. "Nora é nossa própria filha, como você pode simplesmente ignorá-la assim?"

Ele não conseguia suportar.

Ele odiava tudo nessa situação - odiava a injustiça da vida, odiava Claudia por ser tão insensível e, acima de tudo, odiava sua própria impotência.

Ao pensar em sua filhinha deitada ali com dor e clamando por ele com toda a força que lhe restava, os olhos de Lachlan passaram do desespero à determinação - e até mesmo à loucura.

"Não!", gritou ele em seu íntimo. "Papai não vai deixá-la morrer, Nora! Mesmo que você tenha que deixar este mundo, minha querida garotinha... Papai estará ao seu lado".

Lachlan sabia que era impotente para mudar o que estava acontecendo, mas pelo menos podia fazer alguma coisa - qualquer coisa - pela filha. Se ela tivesse que ir, eles iriam juntos.

"Garotinha", ele sussurrou suavemente enquanto as lágrimas escorriam pelo seu rosto. "O papai cuidará de tudo agora."

Com essa decisão final em mente, Lachlan fechou a porta atrás de si e saiu para a noite - determinado a não deixar Nora morrer sozinha naquele quarto estéril de hospital.

Com um som pesado e abafado, o corpo de Lachlan voou para fora.

Depois de aterrissar, uma chocante poça de sangue se espalhou sob o corpo de Lachlan.

Em sua mão, ele ainda segurava firmemente o pingente de jade em forma de dragão.

Parecia que aquele objeto que sua filha usava há vários anos era seu tesouro mais precioso.

No entanto, quando as manchas de sangue tocaram o pingente de jade em forma de dragão em sua mão, elas foram misteriosamente absorvidas.

"Ga!"

Nesse momento, um Bentley Mulsanne parou e duas pessoas desceram apressadamente do carro.

Um homem e uma mulher.

O homem parecia ser um guarda-costas ou motorista, enquanto a elegante beldade parecia ser a mestre.

Ela estava no auge de sua vida, com traços faciais delicados e bonitos, e uma figura esbelta e graciosa que superava as chamadas celebridades femininas.

Usando trajes profissionais da OL, seu temperamento era frio e capaz.

"Fraude para obter indenização?" O motorista olhou para Lachlan deitado em uma poça de sangue e disse com uma expressão sombria.

"Arriscando sua vida para nos enganar?"

A beldade franziu as sobrancelhas e ordenou em um tom frio: "Independentemente da situação, chame uma ambulância rapidamente".

Nesse momento, Lachlan, que estava em coma, sentiu apenas uma voz vaga soando em sua mente.

"Lixo! Como pude ter um descendente tão lixo?"

"Se você perder um rim humano, eu lhe darei um rim de dragão!"