Biblioteca
Português

Família Ricci - A Amante Fugitiva

125.0K · Em serialização
Ninha Cardoso
146
Capítulos
8.0K
Visualizações
9.0
Notas

Resumo

OBS: livro 2 da família Ricci. Interessante ler o livro A Virgem do Mafioso antes, para compreender melhor este./ No turbulento mundo da máfia italiana, Alessandro encontra-se em uma encruzilhada quando sua amante, Emma, desaparece misteriosamente. Convencido de sua traição, ele se lança em uma busca por respostas e vingança. No entanto, ele se depara com um segredo chocante: Emma foi encontrada abandonada em um hospital, sem memória de seu passado. Determinado a fazer Emma pagar pelo que ele considera uma traição imperdoável, Alessandro se aproxima dela, planejando uma vingança calculada. No entanto, à medida que passa mais tempo com Emma, ele começa a questionar suas próprias convicções e sentimentos. Mas o verdadeiro desafio pode ser perdoar o passado e abrir seu coração para o amor que sempre esteve ao seu alcance.

assassinatobrigasdramaCasamento arranjadoamormafiabilionáriofemininapossessivodominante

Capítulo 1... Arrumando as malas

Parte 1...

Emma

Eu me sinto nervosa, preocupada e com uma leve dor de cabeça. Não sei se deveria mesmo fazer isso, mas eu não vou esperar demais e depois ser passada para trás. Isso já me aconteceu uma vez, não quero repetir.

Não é fácil me afastar, eu realmente tinha um plano para mim e Alessandro, mas se ele não quer participar disso, eu não posso força-lo a nada.

Meu celular toca em cima da mesa. Eu não queria atender, mas tenho que fazer isso. Não posso ser ingrata com as pessoas que me receberam de braços abertos e me aceitaram sem me questionar.

Solto um suspiro e aperto o nariz, para evitar fungar ao atender e ficar com voz de choro. Não quero criar um drama maior do que já é. Pego o celular e vejo o nome na tela. Lívia!

Eu gosto muito da Lívia. Eu a conheci primeiro, logo que comecei minha relação com Alessandro. Depois veio a Isabela. Eu estava nervosa quando fui conhecer a família dele e Lívia me tratou muito bem. São duas pessoas maravilhosas que tive a oportunidade de conhecer e de chamar de amigas, mas não posso colocar meu problema em suas mãos.

— Alô! – tento manter a voz firme — Oi, Lívia.

— Oi, Emma. Onde você está?

— No apartamento.

— Engraçado... Eu passei aí mais cedo e toquei tanto o interfone. Ninguém atendeu, pensei que tivesse saído.

— Ah, sim... Foi isso mesmo – eu menti. Isso é muito feio, eu sei, mas não podia dizer que tinha ficado toda a manhã chorando — Eu tive que pegar uma encomenda aqui perto.

— Certo. Bem, estou ligando para saber se você vai vir para nossa reunião aqui em casa – ela me questiona animada.

— Hoje? – olhei para a sala, onde as malas estavam em cima do sofá.

— É sim, você esqueceu? A Isabela vai dar um chá para as amigas do clube do livro e aproveitar para fazer a arrecadação de fundos para o abrigo de animais.

Eu não me esqueci, apenas desisti de ir. Não estou mais suportando viver na mentira de que Alessandro e eu estamos bem, como um casal normal. Já faz semanas que não somos mais um casal. Pelo menos para mim, não somos.

— Poxa, eu realmente acabei me esquecendo, sinto muito – joguei essa — É que estive tão ocupada essa semana que me perdi na data.

— Não tem problema, eu já te recordei – ela riu do outro lado — Pode chegar um pouco antes, para nos ajudar a organizar as mesas?

— Nossa, Lívia... – eu respirei fundo — Eu não sei se vai dar para ir hoje.

— Por que não? O Alessandro inventou outra saída surpresa como das outras vezes, não é?

Antes fosse mesmo isso. Eu iria adorar. Mas na verdade, Alessandro estava dias chegando tarde em casa e saindo cedo. Algumas vezes eu até acordei, mas ele quase não me deu atenção. Chegava e corria para o banheiro. Comecei a ficar desconfiada de que havia algo de errado.

O Alessandro que eu conheço, jamais me deixaria dias sem sexo. Ele tem um fogo que parece nunca se apagar, mas nos últimos dias, ele quase nem mesmo me beijava. Isso só pode ser uma coisa. Ele tem outra!

— Hã... Não, não foi o Alessandro – apertei as unhas na palma da mão — É só que eu esqueci e já me comprometi com outra coisa.

— Que coisa? – ela me questionou curiosa — Não pode ser amanhã? Não vai dar para Isabela trocar o chá para outro dia, está muito em cima da hora.

— Não precisa trocar... Podem fazer sem mim.

Esperei a resposta dela, que demorou um instante para vir, ainda mais curiosa.

— Emma, tem algo de errado com você? Me parece estar um tanto dispersa, travada... Precisa de minha ajuda?

Seria muito bom poder me abrir para ela, mas Lívia é casada com Victor, o irmão mais velho de Alessandro e Isabela é a esposa de Enzo, outro irmão dele. Não quero envolver as duas e trazer algum tipo de problema para elas e os maridos. Eu sempre resolvi meus problemas sozinha, desde pequena.

— Não tem nada, Lívia... É impressão sua.

— Seria muito bom se você fosse, nós contamos com você, Emma. Sabe que gostamos muito quando participa de algo que a gente inventa.

— Sim, eu sei – respondi quase engasgando para evitar chorar — Eu também gosto muito de vocês, de todos vocês... É que às vezes fica difícil... Participar de todos os eventos...

Ouvi o suspiro dela.

— Está bem, me desculpe... Não vou insistir... Mas seria bom ter você com a gente, Emma – sua voz ficou mais baixa, preocupada — Não fique sozinha, está bem? Eu estou aqui para você... Nós, estamos aqui para você.

— Obrigada... Eu sei – meu queixo tremeu — Tchau, Lívia. Muito obrigada por tudo – desliguei antes que ela me perguntasse algo mais.

Sentei no chão e abracei os joelhos, deitando a cabeça e chorando novamente. Esses dias o que eu mais faço é chorar e em nenhum momento, Alessandro percebeu que eu mudei. Ele não presta mais atenção em mim, não conversa comigo como antes.

** ** **

— Eu não posso ficar aqui chorando – disse em voz alta, para mim mesma, olhando para o teto branco, esticada no chão frio — Ele não me ama mais e eu tenho que aceitar isso – eu disse alto, como para me convencer — E quando ele souber que eu estou grávida, não vai me querer de forma alguma, de qualquer jeito – funguei e esfreguei o nariz.

É muito estranho. Eu não sei o que aconteceu. Minha relação com Alessandro sempre foi muito maluca, agitada, rápida demais. As coisas foram acontecendo sem que eu percebesse. Aliás, acho que nem ele percebeu muita coisa.

A gente só se jogou nisso de cabeça. As coisas foram chegando e acontecendo para nós e continuamos seguindo, sem parar para analisar muito e isso foi um erro. Hoje eu percebo isso.

— Como isso pôde ter acontecido comigo, meu Deus? – solucei e comecei a chorar de novo.

Eu odeio isso. Odeio ficar sensível demais e chorar sem parar, sem motivo nenhum, como uma idiota. Mas meu corpo está sensível, cheio de hormônios devido a gravidez que descobri há poucos dias. E que é um dos motivos pelos quais eu estou deixando Alessandro, antes que ele me deixe.

Eu sei que vou sofrer por um tempo, até me acostumar a não ter mais sua presença ao meu lado, mas não posso arriscar.

Autora Ninha Cardoso.

*Obs: É interessante que leia antes o livro A Virgem do Mafioso, para entender melhor o que se passa aqui.