Biblioteca
Português

Doce Casamento Arranjado

789.0K · Em serialização
-
1290
Capítulos
27.0K
Visualizações
9.0
Notas

Resumo

Ela é uma atiradora de elite que atira com precisão de 0,01 mm e deveria ser filha de um general, mas foi substituída por uma mulher astuta. Ele é um presidente dedicado e rico, mas, por ter reconhecido erroneamente sua salvadora, casou-se e divorciou-se dela em um piscar de olhos. Ele não esperava que um dia ela apontaria uma arma gelada para seu coração. "Vou enterrar você com meu filho!" Então ela apertou o gatilho...

romanceamor verdadeiroamormimos docesurbesuspenseCEO

Capítulo 1

Cartório de Regiatro Civil.

Joyce Knowles se casou.

Quando assinou seu nome e estava prestes a escrever o nome de seu marido, ela olhou para o homem ao seu lado.

O homem era tão bonito que até mesmo a funcionária do Cartório de Regiatro Civil olhava para ele de vez em quando. Ela pensava:

“Ora, uma mulher teria que ter muita sorte para se casar com um homem assim, certo?”

- Qual é o seu nome? Desculpe, eu me esqueci. - Joyce perguntou.

O belo rosto de Luther Warner escureceu. Será que aquela mulher realmente não sabia o nome dele? Ou estava apenas fingindo muito bem?

Será que existia uma mulher na Khebury que não saiba o nome de Luther? Ele tinha um rosto deslumbrante e um corpo de proporções perfeitas. Ele era o sonho de toda mulher de Khebury. Claro, ele era até mesmo o CEO do Grupo R&S, um verdadeiro rei em finanças, comércio eletrônico, imóveis e entretenimento.

Ele pegou o formulário da mão de Joyce e escreveu seu nome diretamente. A caligrafia mostrava sua personalidade ousada e dominadora.

Então foi isso, depois do carimbo.

Joyce arrumoucom cuidado suas coisas.

Luther estava prestes a falar.

Mas acabou sendo interrompido por Joyce:

- Quando nos divociamos?

- O médico disse que a vovó talvez não aguente até o fim do mês. - Ele respondeu com uma voz fria.

As palavras dela o deixaram bastante deprimido. Quando seria o divórcio? Não deveria ser ele o único a se preocupar? Qual era a pressa dela?

Joyce franziu a testa. Três meses atrás, ela encontrou uma senhora idosa na beira da estrada. Naquela hora, a senhora estava com pneumotórax e grave oclusão das vias aéreas, e sua situação era crítica. Felizmente, ela conseguiu fazer a pericardiocentese na velhinha bem a tempo.

A ambulância chegou logo em seguida e a idosa acabou sendo salva.

Mal sabia ela que a idosa era uma paciente com câncer de pulmão em estágio terminal que insistia para que seu neto se casasse com Joyce antes do fim da vida dela.

- Por que você não pode simplesmente usar um certificado falso? - Joyce ainda estava confusa. Assim, eles poderiam poupar todo o trabalho.

Luther lhe lançou um olhar vazio, explicando:

- Simplesmente não podemos. A vovó vai mandar alguém para verificar.

- Tenho um pedido. - Disse Joyce.

- O quê? - Luther ergueu as sobrancelhas bonitas, esperando os truques que ela iria fazer.

- Por mais que eu queira que a vovó tenha uma vida longa e aproveite seus dias. Mas chegará um momento em que esse casamento falso terminará e espero que, até lá, você use seus poderes para remover os vestígios de que você e eu já recebemos o certificado de casamento. - Joyce disse com uma expressão séria.

Luther ficou sem palavras.

Pensava no homem que ele era, com seu grande poder e aparência quase perfeita, não deveria ser ele a se preocupar com isso?

Aquela mulher parecia tão ansiosa para acabar com o casamento deles, o que o deixou muito chateato.

- Sem problemas. - Ele cerrou os dentes e cuspiu as palavras apenas por entre os dentes.

- Tudo bem. - Joyce deu de ombros. - Tchau, não se esqueça dos quinhentos mil reais prometidos, aqui está o número do cartão.

Ela entregou a Luther um bilhete, com seu nome e o número do cartão bancário lindamente escritos nele.

Luther fez uma careta. Finalmente, o assunto era dinheiro.

Desde criança, ele foi criado por sua avó e o relacionamento entre eles era extraordinário. Sua avó sofria de uma doença nos últimos anos, ele só esperava que ela não se arrependesse durante a vida.

Mas a avó foi enganada por aquela mulher assim e quando ele propôs um casamento falso para ela, só para deixar a avó feliz, ela pediu quinhentos mil reais na hora.

- Então, você salvou minha vovó de propósito? - A voz dele era fria como gelo, enquanto ela se virou e estava prestes a sair.

Joyce olhou para trás, com os lábios vermelhos levantados e deu um leve sorriso, dizendo:

- Se você acha que sim.

Seu sorriso era incrivelmente bonito.

Depois de dizer isso, ela saiu sem o menor sinal de demora.

Era engraçado, ela nem sequer o conhecia, muito menos a avó dele.

Aquele homem era irremediavelmente delirante.

Se ela realmente fez isso de propósito, deveria ter pedido a ele pelo menos cinco milhões, e quinhentos mil reais não seriam suficientes para o terno feito à mão que ele estava usando.

Luther ficou atônito por um tempo antes de voltar a si.

Porra, ele estava atraído pelo sorriso daquela mulher agora.

Olhando para baixo, ele acariciou o certificado de casamento em sua mão com uma expressão brincalhona.

Nela estava a foto dos dois juntos. Ela estava longe dele, parecendo distante e estranha.

Na verdade, na foto, ela tinha todas aquelas feições delicadas. Seus olhos amendoados pareciam afiados. Suas longas sobrancelhas tinham os ângulos certos. Seus lábios eram sensuais. Havia algo além do charme e da nitidez em sua beleza e ele mal conseguia ver através daquela mulher.

Seus lábios frios se ergueram um pouco pensou que aquela mulher interesseira revelaria suas verdadeiras cores um dia.

Ao sair do Cartório de Regiatro Civil, ele soltou um palavrão baixo. Foda-se! Ele se esqueceu de pedir o número de telefone dela.

Era surpreendente que ela também não pedisse a ele o número.