Biblioteca
Português

Após o Divórcio, a Ex-mulher Revelou Identidade

1.0M · Em serialização
Ana Vitória Campos Pinheiro
971
Capítulos
54.0K
Visualizações
9.0
Notas

Resumo

Após o divórcio, ele descobriu que sua esposa era uma garota talentosa. "Minha esposa estuda bem?" "Minha esposa sabe desenhar com a mão esquerda e tocar piano com a mão direita?" "Minha esposa é uma CEO?" Todos disseram que ele era estúpido e perdeu uma esposa talentosa. Até que um dia, ele lhe disse: "Você está tendo meu bebê." Não me abandone!"

romanceamor verdadeiromimos docesamor

Capítulo 1

"Querida, vamos nos divorciar".

Sylvia Andrews envolveu seus braços ao redor da cintura do homem por trás e encostou seu rosto contra as costas dele.

"Não se preocupe com isso. Pedi a Jasper para redigir os papéis do divórcio. Poderemos assiná-los amanhã", disse Franklin Maskelyne num tom indiferente, tornando difícil para outros dizerem o que ele estava sentindo agora.

"Obrigado então, querida". Sylvia sorriu docemente.

O prazer em sua voz era desagradável para Franklin ouvir, então ele franziu o sobrolho.

Ela parecia que mal podia esperar para se divorciar dele.

Por alguma razão, Franklin estava um pouco infeliz com isso.

"Você mal pode esperar para se divorciar de mim?", perguntou ele, irritado.

"Fizemos um acordo há quatro anos, lembra-se? Vamos nos divorciar quando você não precisar mais de mim", Sylvia retirou as mãos abraçando-o e disse: "Estou tomando um banho".

Assim que ela se virou, foi arrastada e pressionada para a cama por Franklin.

Seus corpos quentes se agarravam, com contato de pele com pele.

Franklin estava prestes a beijar Sylvia quando ela sorriu e estendeu sua mão para detê-lo. Olhando para ele, ela disse: "Estamos nos divorciando".

"Você ainda é minha esposa enquanto não tivermos uma certidão de divórcio".

Franklin segurou sua cintura delgada com as palmas das mãos e a abraçou com força.

O que ele mais amava em Sylvia era que ela era sempre tão doce e terna.

Em particular, ele nunca conseguia ter o suficiente do corpo cativante dela.

"Querida, estou cansada. Podemos ter um bom descanso hoje à noite?" Sylvia perguntou com uma voz agradável, seus grandes olhos de corça olhando para ele.

Ela acariciou o peito dele com seus dedos. "Me poupe hoje à noite, está bem?"

"Não. Vamos nos divorciar em breve e precisamos aproveitar todas as chances que nos restam".

Franklin selou seus lábios com um beijo para impedi-la de falar.

Após quatro anos de seu casamento, Franklin conhecia muito bem as zonas erógenas de Sylvia e estava obcecada por cada detalhe de seu corpo.

Sylvia levantou a cabeça para olhar para ele.

Ele era Franklin Maskelyne, o herdeiro do Grupo Maskelyne e o primeiro Capitão da SouthStar Airlines. Ele também foi o Príncipe Encantado que desmaiou cada nobre senhora, aeromoça e funcionária no serviço terrestre. Ele foi uma peça de arte feita por Deus.

Entretanto, Sylvia não era uma de suas admiradoras.

Ela sempre soube que papel ela deveria desempenhar neste casamento.

E agora, o casamento de quatro anos havia finalmente chegado ao fim.

No dia seguinte, quando Sylvia acordou, Franklin tinha se levantado e estava se lavando no banheiro.

Sylvia sentou-se lentamente na cama. Franklin era um homem forte e eles fizeram amor freneticamente toda a noite de ontem. Neste momento, seu corpo doía por toda parte.

Ela saiu da cama, arrumou suas coisas, encontrou um vestido preto e estava prestes a vesti-lo.

Hoje foi o velho funeral do Maskelyne. Como esposa nominal de Franklin, ela tinha que comparecer ao funeral.

Depois de comparecer ao funeral e assinar seu nome nos papéis do divórcio, ela finalmente poderia cortar definitivamente a gravata com a família Maskelyne.

"De qualquer forma, vamos nos divorciar em breve". O espetáculo acabou. Você não precisa ir ao funeral se não quiser ir".

Franklin saiu do banheiro e disse ao ver o vestido preto nos braços de Sylvia.

Então, ele esguichou os olhos quando viu a mala dela junto à cama.

Será que ela queria tanto deixá-lo?

"O avô sempre foi gentil comigo. Eu quero vê-lo uma última vez", respondeu Sylvia, um pouco distraída.

Quando ela ia vestir o vestido, suas mãos foram agarradas por Franklin, que então a pressionou até a parede.

Ela podia cair o fôlego quente dele na orelha dela.

"Você quer tanto me deixar? Não é?".

Sylvia colocou seus braços ao redor do pescoço dele e disse com uma voz suave: "Não quero. Mas nós estamos nos divorciando. Não posso ser tão atrevido para ficar aqui, posso?"

Ela falou novamente sobre o divórcio deles, o que enfureceu Franklin.

Franklin olhou austero e disse: "Você não precisa sair de casa. Eu planejo dar a Villa Townyer para você".

Sylvia olhou em seus olhos e disse docemente: "Mas fizemos um acordo há quatro anos. Eu não tiraria um centavo de você e não teríamos nada a ver um com o outro após o divórcio".

Ela não queria tirar nenhuma das coisas dele. Se o fizesse, ela nunca seria capaz de se livrar dele.

Seu rosto adorável parecia composto, o que fez com que Franklin se deixasse levar um pouco.

Eles fizeram um contrato quando se casaram.

Eles não interfeririam na vida um do outro. Sylvia seria sua esposa; ele lhe daria tudo o que ela queria, enquanto Sylvia agiria como um casal amoroso com ele na frente de seu avô.

Ele a conheceu no portão do hospital. Ela estava de pé na chuva torrencial e perguntava: "Alguém quer casar comigo?

Os transeuntes que iam e vinham apressados a levá-la como uma lunática.

Franklin não sabia por que ela faria isso e ele não estava interessado nisso.

Tudo o que ele sabia era que precisava de uma esposa e gostava do aspecto dela.

Nos últimos quatro anos, eles tinham agido como um casal amoroso. Ele vinha para a Villa Townyer para ficar todos os fins de semana enquanto ela estava sempre lá, esperando por ele sem nenhuma reclamação.

Nenhum deles esperava que o casamento durasse quatro anos até o falecimento do avô de Franklin, na semana passada.

"Querida, você não vai voltar atrás em sua palavra, vai?".

As palavras de Sylvia trouxeram Franklin de volta à realidade.

Franklin a soltou e disse com uma voz sem expressão: "Não, claro que não". Já que você também vai ao funeral, eu lhe darei uma carona".

"Não é preciso". Sylvia sorriu com os olhos estreitos. "Eu só vou pegar o ônibus. Estamos casados em segredo há quatro anos. Não quero que a mídia o encontre neste momento. Além disso, estamos nos divorciando. Eu deveria começar a me acostumar a ser pobre sem motorista. Eu não sou mais sua esposa".

Então, ela ficou na ponta dos pés para beijá-lo na bochecha, pegou sua mala e foi embora.

Ela soou e parecia uma esposa que amava seu marido, não alguém que mal podia esperar para obter o divórcio.

Franklin sentiu um aperto no peito enquanto olhava fixamente para a figura esbelta da mulher que estava recuando.

Depois de sair da Villa Townyer, ela chegou a um canto imperceptível onde um Maybach negro a esperava.

Ela entrou nele e fechou a porta.

Logo, o doce sorriso em seu rosto foi substituído pela indiferença.

Fez um forte contraste com a aparência que ela tinha há pouco.

Era como se ela tivesse se tornado outra pessoa.

Quando Logan Mertens, que estava no lugar do motorista, a viu, ele perguntou respeitosamente: "Chefe, para onde vamos?".

"Cemitério Shanwens".