Biblioteca
Português

A PRIMEIRA DAMA DO GOVERNADOR MAFIOSO

73.0K · Finalizado
Palomakemm
51
Capítulos
13.0K
Visualizações
9.0
Notas

Resumo

Yolanda, está sendo obrigada a se casar com o mafioso no lugar da sua irmã, sua irmã que seria a esposa dele fugiu no dia que ele apresentaria ela como sua noiva, fazendo com que Yolanda tenha que se casar contra a sua vontade com o noivo da sua irmã.

segredosamor dolorosamafiafemininadominantepaixao

1

Capitulo 1

Alejandro narrando

Eu olhava as fotos das filhas dos mafiosos que faziam parte da máfia Mexicana mas nenhuma delas me atraia, estava já ficando cansado, o outro candidato a governador do país já era casado e isso era noticiado em todos os lugares, um candidato da família.

- Seria bom já vir com um filho – Juan fala .

- Eu nem arrumei a esposa e você querendo que eu arrume um filho – eu falo.

Meu pai entra na sala.

- Arrumei todos os seus problemas – ele fala.

- Contratou uma esposa? – eu pergunto

- Não, pelo ao contrário – ele fala – você tem duas primas no leste do Mexico, Yolanda – ele coloca a foto de uma menina dos cabelos pretos , rosto angelical de mais,.

- Não – eu respondo – Nem pensar.

- Ela é linda – Juan fala.

- Olha isso aqui, é uma menina – eu falo – eu quero uma mulher ao meu lado e não uma menina. O que vão achar que eu sou para se casar com essa garota? É uma menina! – eu afirmo novamente.

- Ela é bonita, duvido que os eleitores vão se importar com isso – ele fala.

- Mas, eu vou – eu respondo.

- Calma – meu pai fala – e tem a irmã dela mais velha, Virginia. – ele coloca a foto dela na minha frente – será que essa te interessa Alejandro?

Eu pego a foto de Virginia e abro um sorriso, diferente da irmã, ela tinha um sorriso que me atraiu na mesma hora.

- Quero ver ela – eu respondo.

- Eu sabia – meu pai fala – Virginia é de tirar suspiro de qualquer homem da sua idade, porém – ele me encara – Yolanda não te traria problemas.

- Mas é isso que eu gosto de mulheres difíceis – eu falo – já que vou ter que me casar, que seja com alguém que entenda o lado bom da vida – eu abro um sorriso de canto.

- Você está se casando para chegar ao governo do México, quero que você lembre disso – ele fala.

- Eu sei, fui eu que escolhi isso, não tem como eu esquecer papai – eu falo.

- Nos vamos ainda hoje para você conhecer elas – meu pai fala – quem sabe muda de idéia e se interesse por Yolanda?

- Impossivel eu me interessar por Yolanda – eu falo – ela não faz o meu tipo.

Juan me olha.

- Mas ela faria o tipo dos seus eleitores – ele fala.

- Ela é uma menina, o que agregaria na minha campanha? Eu preciso de uma mulher que fale na campanha, que me ajude, que incentive as mulheres a votar em mim também – eu falo – olha a esposa do candidato oposto, ela tem projetos enormes o que atrai muito as mulheres, as famílias. Precisamos de alguém que consiga bater de frente com ela.

- Espero que Virginia seja tudo isso que você fale meu filho – Meu pai fala.

- Foi você que está me apresentando elas – eu falo para ele e ele me encara.

- Elas não são conhecidas, Ricardo mantém as filhas mais escondida do mundo e isso é bom para nós, não existe escândalo envolvendo a família – ele fala – é isso que precisamos, uma noiva desconhecida do mundo e dos holofotes, nem redes sociais elas tem, o que significa que não terá ninguém especulando o passado delas, nem mesmo a oposição, porque eles vão fazer isso e precisamos pensar em todos os detalhes.

- Estou pronto para pedir a mão de Virginia – eu falo.

- Perfeito – ele fala.

Eu olho novamente as fotos das duas e vejo que não tinha nem cogitação de eu pedir em casamento a mão de Yolanda, ela jamais serviria para ser minha esposa.

Yolanda narrando

Estou andando pelo jardim de nossa casa colhendo as flores para fazer os arranjo para o jantar de hoje, iria vir um noivo para pedir a mão em casamento de Virginia, tudo tinha que está perfeito, minha mãe estava tão nervosa que resolvo ajudar ela nos preparativos.

Abro a porta da estufa e encontro a cena que eu jamais queria ter visto.

- Meu Deus – eu falo fechando a porta rapidamente da estufa.

- Yolanda – A voz de Virginia lá dentro soa rapidamente – Yolanda – eu fico parada na porta.

- Se veste, rápido antes que alguém apareça por aqui – eu falo. – você e o motorista. – eu respiro fundo, olhando para todos os lados para ver se ninguém estava vindo. A porta abre e o motorista sai sem falar nada.

Eu entro dentro e encontro Virginia se recompondo.

- Você não viu nada – ela fala.

- Você não é mais virgem? – eu pergunto para ela. – você vai se casar, você sabe qual é a regra da máfia?

- Eu sei – ela fala – mas eu dou um jeito, deixa eu conhecer meu noivo que eu dou um jeito de sei lá.

- sei lá, o que Virginia? – eu pergunto – a nossa família já está em uma posição baixa, imagina quando descobrirem que você não é mais virgem e transa com o motorista na estufa do jardim?

- Você é careta que nem o nosso pai , aceita tudo que aqueles dois falam, você não ver que isso de casamento forjado é a coisa mais ridícula que existe no mundo – ela fala.

- Essa é a nossa realidade – eu suspiro – você realmente acha que um dia quero me casar com um desconhecido? – eu questiono – não, eu não quero. Mas, infelizmente se a gente se negar a isso podemos trazer problemas sérios para o nosso pai.

- A nossa mãe se casou com o nosso pai sem querer, até hoje escuta que não deu filho homens a ele, e nós mulheres somos tratadas que nem descarte, apenas para parir e servir as boas vontades deles – Virginia fala – me desculpa, mas eu jamais vou aceitar isso normal.

- Eu também não aceito – eu falo – eu acho tudo isso errado, mas eu penso em nossa família, em você, em mim, na mamãe. Infelizmente, não vamos conseguir mudar a realidade, não seremos nós.

- Alguém tem que começar, esse seu discurso barato não leva a lugar nenhum – ela fala – você vai se casar, viver recebendo ordens do seu marido e vai achar tudo bom que nem a mamãe acha, viver uma vida infeliz, eu não quero isso para mim.

- O seu noivo deve está chegando – eu falo.

- Eu não irei me casar – ela fala me encarando – pode anotar, o que estou dizendo, eu não irei me casar.

- E você irá fazer o que? Dizer não a ele? – eu pergunto.

- Eu ainda não sei, mas vou achar uma saída – ela fala me encarando.

Ela sai de dentro da estufa e eu olho para o chão vendo a camisinha em um pacote fechado, eu enterro aquele pacote de camisinha dentro de um pote de terra e saio da estufa.

Quando entro de casa, minha irmã estava se arrumando para conhecer seu futuro noivo como se nada tivesse acontecido.

- Onde estava Yolanda? – minha mãe pergunta.

- Arrumando os arranjos para mesa – eu falo.

- Vá se arrumar querida, você também precisa está impecável – ela fala.

- Quem sabe ele não se interesse por você Yolanda – ela fala.

- O noivo é para você , querida – minha mãe diz a Virginia e eu sorrio fraco para Virginia.